30 anos de Rotary Club de Águeda

O Rotary Club de Águeda celebrou num jantar festivo 30 anos da sua fundação. Mais que um relato do evento deixamos aos interessados a alocução da nossa companheira Presidente Ana Rita Carlos que traduz de forma clara o espírito e a vivência deste clube.

No registo de sempre, votado à proximidade, permitam-me que, hoje, vos fale de vida, que vos fale de sonhos, de concretizações, de lutas e esperanças, permitam-me que vos recorde o Rotary Club de Águeda, entre fotografias e momentos, que carregam a herança dos nossos, o peso da história já escrita, as páginas em branco ainda por preencher.

Há dias a propósito do tempo e do que fazemos com ele, perguntou-me um amigo se 30 anos de Rotary Club de Águeda é muito ou pouco tempo? Na pressa da resposta disse-lhe apenas que 30 anos são tanto e tão pouco. Perante o meu interlocutor perdido com a dicotomia entre o tanto e o pouco, lá fui dizendo o que do meu coração salta sempre que me perguntam: Rita e isso do Rotary é o quê?

Avivei os olhos, agucei o pensamento e expliquei que quando se vive de tanto, o tempo é sempre pouco para o que queremos ser ou fazer. E assim contei-lhe que, ainda pequena em idade no Rotary Club de Águeda, é com orgulho que ouço um passado de 30 anos recheado de histórias, contadas por Companheiros que enchem a alma para dizer “no meu tempo fizemos”, “no meu tempo estivemos” e “no meu tempo conhecemos”.

Expliquei ao meu amigo que me enriquece o presente que cresce, com o lastro da experiencia e a vontade de permanecer nos feitos e nas vontades.

Que me alegra este presente alheio à sede da mudança perene do tempo. E assim fui-lhe dizendo se 30 anos são muito pelo tanto que o Rotary Club de Águeda concretizou, são certamente pouco para o que ainda ousa fazer, estar e ser.

E em jeito de reflexão, que faço aqui convosco, é cada vez mais recorrente nos discursos, nos planeamentos e na vida a palavra mudar. É frequente ouvir-se aqui e ali, umas vezes em anúncio de bons ventos outros em tom de lamento, frases do tipo “os tempos mudaram”, “tudo muda”, “só a mudança importa”. A verdade é que se hoje a palavra mudar é elevada à condição máxima de benfeitora da vida tem o Rotary Club de Águeda, orgulhosamente, as quotas pagas à mudança. Àquela mudança sólida, que não se torna uma urgência e que não é avessa à permanência.

Ao longo de 30 anos o Rotary Club de Águeda soube acompanhar as exigências da sua comunidade e muitas vezes, em surdina, atuou de forma a materializar os fins a que se propunha e a contribuir positivamente para aqueles com quem foi trilhando caminho.

E este nosso Rotary Club de Águeda é feito de quê?

Da massa dos sonhos com toda a certeza.

Mas também de pessoas, com nomes que nos soam familiares ao ouvido, pessoas que sempre num diálogo honesto, permitiram a elasticidade necessária para se ir redefinindo prioridades e rescrevendo vontades ao longo de 30 anos.

São estes os que com audácia agem no alcance a que se estendem os seus braços e abraçam com força tudo o que lhes cabe dentro. São estes os Companheiros do Rotary Club de Águeda a quem peço que se dirijam até mim e para quem tenho um miminho:

Amílcar Mendes

António Celestino Almeida

António Mota Rodrigues

António Rés

Aires Neves

Arsénio Braga

Carlos Franco

Fátima Ervedoso

Joaquim Ferreira

Jorge Loureiro

José Neves

Lucinda Roque

Manuel do Carmo

Marco Abrantes

Rui Bastos

Saúl Lopes

Mas o Rotary Club de Águeda é também memória. Memória de todos os que recordámos há pouco por fotografias e com os quais partilhámos o saber dar em detrimento do querer receber. E porque quem foi do Rotary Club de Águeda jamais o deixará de ser, peço que venham até junto de mim Abrantes da Costa, Gil Abrantes, Jorge Castanheira, Manuel Simões e Raul Martins.

E o Rotary Club de Águeda é também feito da saudade dos Companheiros que a vida levou, mas que permanecem no som das gargalhadas, no afinco do trabalho, na exigência do método em prol do propósito. Para eles esta rosa, que simbolicamente deixo junto ao Sino e ao Martelo e que honra as suas vidas de serviço ao próximo.

Mas o nosso Rotary é ainda gratidão. Ao Rotary Club de Aveiro que, em bom tempo, desenhou para Águeda um projeto de esperança e encontrou gente capaz de replicar os ensinamentos recebidos.

Comp. João Oliveira, Presidente do Rotary Club de Aveiro para si…

E é também orgulho. Orgulho do exemplo do Rotary Club de Oliveira do Bairro e Rotary Club da Curia Bairrada pela continuidade deste projeto incomensurável de construção de um mundo melhor.

Comp. Lurdes Costa e Comp. Alexandre Bastos, respetivamente Presidentes do Rotary Club da Curia Bairrada e Rotary Club de Oliveira do Bairro, nossos clubes afilhados.

E o Rotary Club de Águeda é também teimosia. Sim, teimosia por acreditar que a juventude pode ser mais que o egoísmo e o oportunismo de um mundo que vive à distância de um click e com isso acreditar que o Rotaract e o Interact Clubes de Águeda devem fazer a diferença entre os seus.

Comp. Francisca Morgado, Presidente do Rotaract Club de Águeda e

Comp. Vasco Brás, socio fundador do Interact Club de Águeda e membro do Rotaract Club de Águeda.

Mas o Rotary Club de Águeda é ainda mais. Muito mais.

É a cumplicidade das nossas famílias, verdadeiras incubadoras da arte de dar.

O aconchego dos nossos amigos.

O amparo dos nossos parceiros, dos quais destacamos o Senhor Comendador Augusto Gonçalves, cuja presença hoje aqui em muito nos honra, a quem batemos à porta e que com boa vontade acolhem os desafios de transformar problemas em soluções, que ousam inspirar futuros, que não poupam esforços para melhorar os dias.

E por tudo isto 30 anos são tanto e tão pouco.

A verdade é que nem sempre se conseguiu fazer tudo, dar tudo ou estar em tudo, mas é uma certeza que o Rotary Club de Águeda pôs sempre o melhor se si pelos outros, pela nossa comunidade e pelo mundo.

Assim, ao longo deste caminho o Rotary Club de Águeda aprendeu a permanecer, na generosidade que oferece, no reconhecimento que recebe, nas contrariedades e nas alegrias que são capítulos de um livro, em aberto, escrito a muitas mãos.

Crente de que as melhores mudanças na vida são feitas com o que de melhor em nós permanece, venham mais 30 anos de Rotary Club de Águeda.

Ana Rita Carlos, Presidente do Rotary Club de Águeda a.r. 2016/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *