FRP elogiada – Canto Lírico

Alguns dos intervenientes activos nas várias edições do Concurso de Canto Lírico promovido pela Fundação Rotária Portuguesa endereçaram à instituição depoimentos onde agradecem e enaltecem o apoio da Fundação, bem como a incentivam a continuar este concurso único em Portugal, na área do canto lírico. Um concurso que é uma referência no panorama artístico musical e que em 2010 conheceu a internacionalização.


«Admiro profundamente o esforço que fazem para fazer vingar um concurso com os princípios que o vosso tem, num país visivelmente em esforço e cujos apoios são cada vez mais raros e mais prementes no que confere aos jovens estudantes. Pois bem, foi nessa qualidade que vos assiste que vi todo o meu mérito humano e artístico gentilmente reconhecido por vós. É certo que, por ainda ser um concurso novo, o reconhecimento da importância, valor e qualidade dos seus premiados não será suficiente, digo isto quer do ponto de vista interno como além fronteiras pois eu como elemento vencedor da primeira edição do concurso sinto mais este aspecto. Se me permito a dar um conselho para que se possa melhorar o que desde já sei que é formidável, será ao nível do apoio pós-concurso, não deixar cair no esquecimento os premiados, talvez organizando concertos e apoiando iniciativas que os incluam promovendo assim o concurso. Uma vez mais agradeço e desejo (…) que o futuro do vosso concurso consiga continuar a vingar principalmente pela qualidade que tem».


«Relativamente ao concurso do ano em que participei (2009), poderei dizer que a organização geral era óptima. O júri do concurso pareceu-me ser muito apropriado e capaz de ajuizar de forma correcta e imparcial. O nível geral dos cantores era também bastante alto. O benefício dos prémios do concurso da FRP ser convertido em bolsa de estudo parece-me uma mais-valia do referido concurso, e é de salientar a coragem da Fundação Rotária para este facto. Os jovens cantores/músicos de um modo geral, em especial os portugueses, têm uma enorme falta de apoio financeiro para aperfeiçoar os seus estudos na área da música, sendo a contribuição da FRP absolutamente primordial face à falta de suporte por parte das entidades estatais de Portugal. Penso que o desenvolvimento desta estratégia liderada pela FRP deverá ser tida em conta por parte dos patrocinadores do Concurso de Canto, pois só assim, nós músicos, poderemos fazer mais pelo bom desenvolvimento do nosso país».


«Participei nas três primeiras edições do Concurso de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa e foi graças a dinheiro proveniente dos prémios que pude viajar e participar em diversas masterclass pela Europa, ir prestar provas à Royal Academy of Music em Londres, onde estudo actualmente, e pagar metade das despesas de vivência em Londres no ano lectivo 2009-2010. Sem esta ajuda teria sido muito mais complicado encontrar dinheiro suficiente para me manter em Londres e não teria tido nem metade das oportunidades que tive até agora, poderia não ter tido a oportunidade de estudar com a professora que queria e, com certeza, não teria evoluído tanto enquanto cantora e pessoa. Graças ao dinheiro dispensado no concurso fiz novos contactos que me têm ajudado a sustentar este ano lectivo. Este concurso é um dos poucos ‘empurrões’ para os jovens cantores que perseguem o seu sonho, pois muitas vezes a única coisa que está entre nós e o nosso futuro é, infelizmente, a falta de ajuda monetária no mundo das artes».


«Na qualidade de laureada na 4.ª edição do Concurso Nacional de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa, venho por este meio expressar o meu agrado por esta iniciativa e interesse na sua continuação. Pela sempre presente e crescente qualidade que tem mostrado desde a primeira edição, o Concurso Nacional de Canto Lírico da FRP constitui um verdadeiro instrumento de promoção da Música e do Canto, e de enriquecimento do panorama cultural português. No meu caso, o prémio ganho no concurso servirá para financiar a minha ida ao Reino Unido prestar provas para frequentar uma das Academias de Música no próximo ano lectivo e assim poder prosseguir o meu aperfeiçoamento artístico num nível superior. Portugal é um país pleno de talento e potencial no entanto, ser músico no nosso país significa muitas vezes encarar um percurso difícil e com falta de apoio, pelo que assistir e participar nesta iniciativa tem sido gratificante e altamente motivador. À Fundação Rotária Portuguesa e a todos os patrocinadores, bem hajam».

Fonte: www.rotary.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.