Rotary Club de Águeda visita a cidade dos Templários

O Rotary Club de Águeda promoveu um Passeio Cultural à Cidade de Tomar, com visita ao Museu dos Fósforos, ao espólio da Sinagoga, ao Convento de Cristo, e no regresso à Vila de Constância.

A visita do Museu dos Fósforos foi muito interessante, onde o tomarense Aquiles de Mota Lima, desde 1953 colecionava caixas de fósforo que comprava durante as suas viagens pelo mundo. Depois de 27 anos de coleção, doou todo este espólio à cidade de Tomar, situando-se dentro do Convento de São Francisco e conta com 43 mil caixas e 16 mil etiquetas de fósforos. É possível observar a cultura através das caixas, nas quais é possível observar paisagens de outros países, assim como a publicidade divulgada por cada país.

De seguida a exposição temporária do espólio da Sinagoga foi observada no Complexo Cultural da Levada, sendo a Sinagoga de Tomar o único templo hebraico proto-renascença existente no nosso país.

Após uma breve visita ao centro da Cidade, o almoço convívio foi no Restaurante O Infante.

Com particular interesse foi efetuada a visita ao Convento de Cristo (século XII – século XVIII), a denominação atribuída a um conjunto de edificações históricas situado na freguesia de São João Baptista, cidade de TomarPortugal. O início da construção remonta a 1160 e está muito ligada aos primórdios do reino de Portugal e ao papel então desempenhado pela Ordem dos templários, tendo sido reconfigurado e expandido nos séculos subsequentes, quando aí se encontrava localizada a Ordem de Cristo. Este Convento destaca-se como um dos mais importantes conjuntos monumentais existentes em território português e encontra-se classificado como Monumento Nacional em 1910, e como Património Mundial em 1983.

A caminho de Constância foi feita uma paragem na barragem de Castelo do Bode, que é uma das mais importantes barragens portuguesas. Integra um conjunto de barragens da bacia do rio Zêzere, e sub-região do Médio Tejo, em Portugal, tendo a montante a barragem da Bouçã. Situa-se assim, nos limites dos concelhos de Tomar e Abrantes no distrito de Santarém. Sendo uma das mais altas construções de Portugal, é utilizada para abastecimento de água, designadamente a Lisboa, produção de energia elétrica, defesa contras as cheia e ainda para diversas atividades recreativas.

A visita a Constância, uma vila ribeirinha que nasce no verdejante encontro do Tejo com o Zêzere, foi a última paragem deste Passeio. D. Maria II alterou o seu nome anterior, para Constância, em 1836, pela constância que os seus habitantes demonstraram no apoio à causa liberal. Esta é uma terra muito ligada aos rios, vivendo essencialmente do aproveitamento turístico das suas belas paisagens, e da tranquilidade das águas que por ela passam.

Este Passeio inseriu-sAe numa prática anual já habitual do Clube, que valoriza o Companheirismo entre Sócios, familiares e amigos, mas também destacando e reconhecendo o valor do Património Português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.